Exemplos e reflexões na palestra “Abandono”, de Mayse Braga

domingo, junho 3rd, 2018 64 views

Baixe este post em PDF

Com o salão Bezerra de Meneses lotado, a médium e oradora Mayse Braga iniciou sua tradicional palestra do primeiro sábado de cada mês, no dia 2 de junho, abordando o tema “Abandono”. Antes, a dirigente Cristina Motoyama fez a prece de São Francisco de Assis. Um jovem da plateia foi, como sempre deseja Mayse, convidado, aleatoriamente, para compor a mesa.

Mayse relembrou grandes nomes da história que sofreram abandono, começando por Charles Chaplin, no século 19. Ele escrevia desde os cinco anos, mas suas peças só foram publicadas a partir dos 19 anos. O abandono veio dos pais, principalmente da mãe, que lidava com o alcoolismo. Um dia sua mãe caiu no palco do teatro onde se apresentava. E Chaplin, com apenas cinco anos, puxou a mãe e assumiu o comando do espetáculo, cantando em público pela primeira vez. Choveram moedas, prática de pagamento da época. Chaplin tinha outros irmãos, mas todos eram tutelados pelo pai que os tratava com grosseria.

Um segundo exemplo, citado pela palestrante, foi  o de Adolf Hitler, que só se sentiu livre para pôr em prática suas ideias insanas quando perdeu a mãe, pois ela só lhe ensinara bondades.

A médium mostrou o outro lado para enfrentar o abandono citando o Livro dos Espíritos.  Quando começamos a entender que ainda que o passado esteja sobre nós, podemos transformá-lo sempre. “Se nos deixarmos levar pelas dores, nos tornaremos incapazes”.

Para os jovens, a palestrante relembrou uma frase bíblica utilizada porDr. Bezerra de Meneses, aos 16 anos: “Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento”. (Eclesiastes Cap. 12: Vs.1). Com esta citação, mesmo em tom descontraído, Mayse alertou os jovens  que  buscam valores como a aparência.

Depois de citar outros exemplos como o de André Luis, que ficou no umbral durante oito anos, e de  Camilo Castelo Branco, que reencarnou cego, vieram as boas notícias: “Hoje somos 100 vezes melhores em relação à nossa última reencarnação”. E outra mensagem positiva animou o público: “Francisco de Assis reencarnará em 2026. Mas, não será no Brasil”.

Ao final, a palestrante deixou vários ensinamentos para superarmos um suposto abandono: “A grande dificuldade da humanidade está em nós mesmos”. “No Universo, ninguém evolui só”. “Suicídio e loucura surgem quando perdemos o discernimento sobre nós mesmos”. “Quando chorarem, pensem quantos choraram por nós”. “Nós nos abandonamos, mas Jesus não nos abandona”. “Pode arrefecer, mas não, morrer”. “Lutar é vencer a nós mesmos”

Por Diva Ferreira.

Assista à palestra completa abaixo:



Com o tema Enganadores, Mayse Braga faz alerta para o uso da mediunidade

terça-feira, maio 15th, 2018 82 views

Baixe este post em PDF

“Enganadores” foi o tema da palestra de Mayse Braga para o mês de maio. O encontro ocorreu no dia (5) e contou com o auditório lotado. Ela iniciou lembrando que nos tempos de Jesus havia muitos enganadores, tanto aqueles que se diziam ser o Messias, quanto aqueles que colocavam em cheque os milagres de Jesus.

Mayse alertou para o uso da mediunidade, que muitas vezes serve de palco para enganadores. “Devemos nos atentar que cada um se dispõe a uma tarefa. A mediunidade é uma ponte que é ativada através do estudo e de um coração generoso. É um trabalho de compromisso”, explicou. Segundo ela, se o trabalho for pautado na leviandade retornará àqueles que o promovem, por meio da lei de ação e reação.

A palestrante ressaltou a importância de confiar na intuição para não dar espaço aos enganadores da mente. “Não encontraremos toda a verdade de uma vez. Mas de verdade em verdade, chegaremos perto da vida espiritual”, disse.

Sobre o trabalho dos médiuns, Mayse explicou também que o médium positivo é aquele que se transforma e que não se pode usar missão para enganar. “Quando não nos enganamos, fazemos a revisão da consciência. O que eu fiz que Jesus não faria?”, enfatizou.

Ela finalizou deixando uma reflexão: o engano pode ser conveniente e confortável; e o maior deles é acreditar que não podemos espalhar amor se não formos amados.

Por Sylvia Dimittria



Fim de semana (5 e 6) tem palestra de Mayse Braga e apresentação musical de Luiz Gonzaga

quinta-feira, maio 3rd, 2018 217 views

Baixe este post em PDF

Enganadores é o tema da palestra mensal que a médium Mayse Braga ministra neste sábado, dia 5 de maio, às 19h, na Comunhão Espírita de Brasília.

No domingo, dia 6, às 17h, o músico Luiz Gonzaga se apresenta no salão Bezerra de Menezes.

Não perda  a programação do final de semana na Comunhão. Todos os eventos são transmitidos ao vivo pela Rádio e TV Comunhão.



Mayse Braga fala sobre  Desequilíbrios Reais

sábado, abril 7th, 2018 456 views

Baixe este post em PDF

Em sua tradicional palestra no primeiro sábado de cada mês, a médium e oradora espírita Mayse Braga abordou o tema Desequilíbrios Reais.

Para a palestrante, é impossível viver na Terra sem enfrentar momentos  de desequilíbrio.  “Mudança de comportamento para pior é sinal vermelho”, alertou. “Mil nadas acabam por nos abalar nas decisões que precisamos tomar para mudar nossas vidas”, explicou a oradora.

Segundo Mayse Braga, os desequilíbrios interferem em nossa saúde física e emocional. Existem até hipnoses mentais de adversários de ontem, que tentam criar obstáculos à nossa compreensão.  “Às vezes, num desencarne coletivo, há pessoas que mesmo convidadas pela espiritualidade amiga a deixarem o local do acidente, ouvem dentro de si vozes que as convidam a não se ir”, ilustrou.

Para ela, quem já teve vícios sabe que entra em estado de desequilíbrio, dominados por espíritos perturbados. “Muitos terminam a vida vampirizados por entidades sofredoras”, explicou.   Por isso, sublinhou, é preciso procurar a cura ainda na Terra.

“Viver para amar é o antídoto para qualquer desequilíbrio”, informou. A perturbação, na hora da morte, só acontece se a pessoa não teve uma vida reta. Por isso, o equilíbrio não vem de se tomar passe todos os dias, mas da decisão de se modificar .

Ao encerrar sua palestra, Mayse convidou os presentes para a estreia do Programa Domingo Melhor, às 20h do dia 15 de abril, no YouTube,  e de sua palestra com o romancista Marcel Souto Maior no mesmo dia, às 19h, na Comunhão Espírita.

Ela anunciou ainda a comemoração dos 40 anos do abrigo Nosso Lar e da abertura de uma nova casa para receber crianças de outros estados com necessidades de tratamentos médicos.

Por Ana Cristina Sampaio Alves



Sábado (7) tem Cantando a Doutrina e palestra de Mayse Braga

sexta-feira, abril 6th, 2018 196 views

Baixe este post em PDF

A Comunhão Espírita de Brasília recebe na tarde deste sábado, dia 7 de abril, a apresentação musical de Abadia Amorim como parte do Projeto Cantando a Doutrina.

A cantora se apresenta às 17 h,  no salão Bezerra de Menezes.

Em seguida, a oradora espírita Mayse Braga faz sua tradicional palestra dos primeiros sábados de cada mês. O tema de abril é Desequilíbrios Reais.

Acompanhe a programação também pela Rádio e TV Comunhão, no YouTube ou na página da Comunhão Espírita na internet.



Em palestra, Mayse Braga conclama participantes a serem mocinhos de própria existência (assista a íntegra no link da matéria)

segunda-feira, março 5th, 2018 390 views

Baixe este post em PDF

“Mocinhos e bandidos” foi o tema da palestra ministrada por Mayse Braga no último sábado (3). Com o auditório cheio, a conferencista espírita convidou os presentes a serem mocinhos da própria existência. “Temos em nós o velho e o novo, o bem e o mal. Só o processo evolutivo ajuda a afastar o bandido que está conosco”, explicou.

Mas como caminhar no processo evolutivo? Vigilância e resignação foram alguns dos pontos destacados por ela a serem desbravados na caminhada evolutiva. “Temos um aprendizado a realizar. Ter resignação quando não acontece para nós e observar a beleza dos encontros para dar um novo rumo as nossas vidas são a chave para sermos mocinhos de nossa existência”, disse.

A palestrante ponderou que o lado bandido possui “seu charme”, e, por isso, tantas vezes, há inclinações das pessoas para este lado. “A maldade tem charme, atrai e envolve. Sabemos que não podemos, mas, dentro de nós, insistimos. É preciso nos afastarmos de tudo o que gera desequilíbrio”, alertou.

Outra ferramenta primordial, segundo Mayse, é o uso do livre arbítrio na busca pelo lado mocinho que há em cada um. “A palavra convence, mas só o exemplo arrasta. Nada que nos ocorre é para o nosso fracasso. Viemos para alcançar felicidade, para sermos mocinhos”, reforçou.

Mayse finalizou lembrando o chamado para a mudança, ao encarar o bandido que há em nós. “A transformação virá quando enxergarmos a beleza para que fomos criados”, afirmou. Conclamando todos à renovação pelo trabalho e pela doação, ela concluiu: “A lesão provocada no coração alheio é uma lesão na nossa própria alma. Doação é não desistir do outro”.

Por Sylvia Dimitria

Foto: Rodrigo Castro

Assista a íntegra da palestra.