Leia mais notícias...

Eventos

Integrando Saberes para entender a saúde

13/11 | Editado por: Ana Cristina Sampaio Alves
Este post já recebeu 276 views
Baixe este post em PDF

Homeopatia e Espiritualidade foi o tema apresentado pela Associação Médico-Espírita do DF (AME), nesta quarta-feira (8), na Comunhão Espírita de Brasília (CEB), durante o Ciclo de Palestra Integrando Saberes.  O  convidado foi o pediatra Divaldo Mançano.

Para o palestrante, as práticas integrativas de saúde propõem um modelo que vai além da visão apenas da patologia. Elas atuam com base na  integralidade do paciente, considerando o processo de saúde e adoecimento com as interfaces psico-afetivas, sócio-econômica, ambiental, étnico cultural e espiritual. Para isso, é preciso romper as barreiras do conhecimento, assegura o médico.

Segundo Mançano, a defesa da integralidade estaria associada à recusa dos profissionais da saúde em reduzir o paciente a um mero sistema biológico em sofrimento. “Todos somos profissionais da saúde. Quem dá o passe ou o amigo que ampara num momento difícil estão nesse papel”, esclarece.

Ele destacou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta a espiritualidade como o conjunto de todas as emoções e convicções de natureza não material.

Homeopatia

A homeopatia é um método terapêutico que envolve o tratamento com substâncias altamente diluídas, normalmente em forma de comprimidos, com a meta principal de desencadear o sistema natural do corpo de cura e estabelecer um novo projeto estável e dinâmico de saúde.

Dessa forma, contempla o total do ser humano com aplicações isoladas. Ela uliza as mesmas substâncias que costumam gerar os sintomas de uma doença para aliviar o sofrimento, desde a depressão até a asma. A ideia é tratar de igual para igual, ou seja, uma substância que provoca sintomas quando tomada em doses elevadas pode ser usada ​​em pequenas quantidades para tratar os mesmos sintomas.

“É uma prática integrativa de saúde e racionalidade terapêutica, de base vitalista, que resgata a visão da integralidade do sujeito ao considera-lo além do seu aspecto físico, valorizando também a sua vida psicoafetiva e sua individualidade. Instâncias que estão em permanente movimento e interação com o ambiente à sua volta”, destaca Divaldo Mançano.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) a reconheceu como especialidade médica em 1980, sendo utilizada pelo Sistema Único de Saúde desde 2006.

Outros projetos da AME-DF estão sendo programados em parceria com a Comunhão Espírita,  e serão divulgados em breve. Para mais informações e contato com AME-DF : www.amedf.com.br (em período de atualização).   Email: ame.distritofederal@gmail.com.

 

Por Bruno Saviotti

 

 

Leia mais notícias...

Você deve logar para postar um comentário.