Leia mais notícias...

Destaque

Simão Pedro conversa sobre regeneração planetária

06/08 | Editado por: Nicole Guimarães
Este post já recebeu 150 views
Baixe este post em PDF

Simão Pedro, que é colaborador da casa espírita Casa do Caminho em Patrocínio/MG, trouxe-nos a reflexão para entendermos qual a nossa responsabilidade com esse processo de regeneração.

Simão iniciou a palestra abordando o que podemos entender por regeneração planetária pelo prisma espírita, segundo a classificação que os espíritos trazem em relação ao processo evolutivo. Ao citar o capítulo 3 do “Evangelho Segundo o Espiritismo”, em que Kardec abordou as diferentes categorias de mundos habitados, Simão afirmou que, nos dias de hoje, o planeta Terra é um mundo de provas e expiações e que, num determinado tempo, a Terra caminhará para um momento de regeneração. “Continuamos no mesmo planeta, porém numa outra escala”, finalizou.

Para Simão, o momento de transição é aquele em que coexistem as forças de conservação e de transformação. Ele nos traz aqui a ideia de que nesse momento existem tanto as atitudes de mundos regeneradores quanto as atitudes do mundo de provas expiações. É o planeta em que coexistem o mal e o bem, sem predominar um ou outro. O mundo regenerador serve de transição entre os mundos de expiação e os mundos felizes.

Ainda sobre a coexistência entre o bem e o mal, Simão citou o capítulo 15 do “Evangelho Segundo o Espiritismo”, intitulado “Fora da caridade não há salvação”. Nas palavras do orador e de acordo com a Doutrina Espírita, “para fazer o bem é necessária a ação da vontade”, afirmou. Para exemplificar mais sobre o tema, Simão trouxe a clareza da questão 932 do “Livro dos Espíritos”: “Por que, no mundo, tão amiúde, a influência dos maus sobrepuja a dos bons?” e sua resposta: “Por fraqueza destes. Os maus são intrigantes e audaciosos, os bons são tímidos. Quando estes o quiserem, preponderarão.”

Durante a explanação, Simão reforçou a ideia de que o mundo de regeneração começa a partir da transformação da pessoa para o planeta, e não o inverso. Para isso, trouxe o contexto da época do nascimento de Cristo, quando Jesus veio para nos mostrar o início do caminho para o pensamento e a atitude de regeneração, tal como está escrito no capítulo 4 do Evangelho de Mateus. Do referido capítulo, Simão trouxe a passagem de quando Jesus diz: “Arrependei-vos”, deixando-nos atentos a que o movimento que Jesus nos põe a refletir tem um aspecto endógeno, de dentro para fora, de cada um de nós.

Ao citar a afirmação de Emmanuel de que o Espiritismo veio na hora psicológica das grandes transformações, ou seja, a chegada do Espiritismo aconteceu no momento certo, Simão finaliza a primeira parte da palestra trazendo a ideia de que há dois momentos para o ensaio do mundo de regeneração. O marco é o nascimento de Jesus, quando foi usada a linguagem do “arrependei-vos”, e, a partir dele, vieram momentos de reflexão de evoluir, amar e instruir.

No segundo momento da palestra, o orador Simão Pedro respondeu algumas perguntas dos internautas.

Confira na íntegra:

Por Renata Caixeta

Revisão: Silmara Sundfeld

Leia mais notícias...

Você deve logar para postar um comentário.