Leia mais notícias...

Destaque

O plano divino para que amemos nossos filhos

06/08 | Editado por: Nicole Guimarães
Este post já recebeu 112 views
Baixe este post em PDF

Ricardo Honório e Alcir Almeida tratam, no programa O Livro dos Espíritos em Nossa Vida, o tema da infância, questionado por Kardec na pergunta 385 da obra.

O codificador indaga, resumidamente, o seguinte: De onde provém a mudança no caráter do espírito, mais especificamente na adolescência? Os mentores espirituais explicam que não é o caso de que o espírito do adolescente se modifica, mas ele então se mostra por completo. “Há uma manifestação mais plena do espírito, que agora surge”, diz Almeida.

Essa transformação segue um plano divino para que o amor floresça na família. As crianças demonstram inocência, porém são espíritos milenares. A doce afeição que uma mãe tem por uma criança é considerada o maior amor que existe na Terra. “Há uma instintiva simpatia pelos filhotes”, explica Almeida, referindo-se ao sentimento que temos não só pelos pequenos animais, mas especialmente pela criança.

A aparência de inocência, segundo os espíritos, é necessária para que a consciência dos atos vividos por aquele ser em vidas anteriores não constranja os pais. No entanto, alerta Ricardo Honório, é importante não deixar passar desapercebida alguma tendência ou pendor para essa ou aquela ação da criança. O cuidado na educação delas desde tenra idade é, por isso, fundamental.

Segundo os apresentadores, essa inocência, porém, não significa superioridade moral. “A fragilidade, ingenuidade e inocência da criança, indefesa diante dos fatos da vida, não é a inocência que transparece na sua feição. Nossos filhos são espíritos com história multimilenar, mas se essa história não reflete a aparência de pureza que têm como crianças, o problema é do ser. Nós vamos tratá-los como se assim o fossem”, observa Almeida.

Esse amor seria diferente se não os acreditássemos bons e dóceis. “A natureza, o plano divino da característica da criança que estimula a afeição dos pais é necessária como um incentivo externo para que essa afeição se manifeste”, dizem os apresentadores.

Quando os filhos não necessitam mais dessa proteção natural, por volta da adolescência, o espírito pode se mostrar como é, pois o amor dos pais está consolidado.

Assista à íntegra do programa no link abaixo:

 

Leia mais notícias...

Você deve logar para postar um comentário.