Leia mais notícias...

Destaque

Daniel Campos: A dor é a grande mola propulsora do nosso crescimento espiritual

28/05 | Editado por: Ana Cristina Sampaio Alves
Este post já recebeu 118 views
Baixe este post em PDF

“Amor e sofrimento andam de mãos dadas e, quando o amor não está presente como mola transformadora, o sofrimento comparece para garantir a direção do nosso movimento espiritual para o Cristo”. Assim o psicólogo e trabalhador espírita Daniel Campos inicia a explicação do papel da dor em nossas vidas, tema do Papo Espírita desta semana.

Segundo Daniel, o papel do sofrimento é garantir nosso processo evolutivo. “Jesus traz, nas suas bem-aventuranças, a questão do sofrimento, e o Espiritismo veio dar um sentido profundo à essa questão quando coloca, na lei da reencarnação, que somos coautores de nossa própria vida.

Nesse sentido, a benfeitora Joanna de Ângelis afirma que a dor é a motivação para a transformação. “Transformar pode produzir sofrimento porque mexe com as emoções. Passar pelo sofrimento, por sua vez, gera grandes transformações na nossa alma em todos os sentidos”, afirma o psicólogo.

Durante o programa, a equipe aborda, ainda, a questão da empatia para com o sofrimento alheio, a vontade íntima de ressignificar e transformar a dor em aprendizado, a necessidade da paciência, o risco da falta de coragem e a negação em enfrentar a dor, os benefícios que grandes sofrimentos trouxeram para a humanidade, entre outras reflexões. “Hoje temos uma planeta unido na questão do coronavírus”, diz o psicólogo, ao referir-se à dor como catalisador que impulsiona a humanidade ao crescimento.

Mas como superar a dor? Daniel salienta que uma das formas mais criativas é a caridade. “Na dor do outro eu me curo”.  Ele complementa que a fé é o combustível à superação do sofrimento.

Daniel Campos deixa uma mensagem sobre o significado da dor durante o isolamento social: “Diante dessa situação, devemos abrir nossa alma não só para o sofrimento lá fora, mas para o que essa situação está gerando em nós, para que saiamos dela melhor do que entramos”.  E convida todos a praticarem atos de solidariedade na medida de nossas capacidades.

Por Ana Cristina Sampaio.

Acompanhe o Papo Espírita no link abaixo:

 

 

 

Leia mais notícias...

Você deve logar para postar um comentário.