Leia mais notícias...

Eventos

Comunhão celebra 188º aniversário de nascimento de Bezerra de Menezes

05/09 | Editado por: Ana Cristina Sampaio Alves
Este post já recebeu 117 views
Baixe este post em PDF

Espíritas do mundo inteiro comemoraram, no dia 29 de agosto, o 188º aniversário de nascimento de um dos maiores nomes do espiritismo, o dr. Adolfo Bezerra de Menezes. Nascido no ano de 1831, em Riacho do Sangue (CE), “o médico dos pobres”, como ficou conhecido, mudaria para sempre a história do movimento espírita no Brasil e no mundo.

Para celebrar a data e destacar a importância desse grande missionário e mentor da Casa, a Comunhão Espírita de Brasília convidou o presidente da Federação Espírita de Brasília (FEB), Jorge Godinho para participar do programa Comunhão Inspira, um bate-papo em formato de perguntas e respostas, com mediação de Ricardo Honório. O encontro ocorreu no sábado (30), às 19h, no Salão Bezerra de Menezes.

Godinho iniciou sua fala lembrando que a missão de Dr. Bezerra está registrada na obra Brasil Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, do espírito Humberto de Campos, psicografada por Chico Xavier.

O livro relata que, antes da reencarnação de Dr. Bezerra, houve uma reunião no plano espiritual com espíritos de alta hierarquia — entre eles Ismael, o protetor do Brasil. Este se dirigiu a Bezerra de Menezes informando que o futuro médico deveria retornar ao Brasil com a missão de reunir os “elementos dispersos” que possibilitaria criar “núcleos espirituais” afinados com a proposta de regeneração trazida pelo Consolador.

.

Unificador do movimento espírita brasileiro

“Ele foi o unificador do Movimento Espírita brasileiro, que naquela época estava dividido”, explicou o presidente da FEB, referindo-se às orientações de Ismael ao Dr. Bezerra e lembrando que, no século XIX, o espiritismo foi fortemente perseguido.  Coube ao Dr. Bezerra iniciar a unificação. “Ele presidiu a FEB e teve uma trajetória política marcante como vereador e deputado”, informou Godinho.

Familiaridade com a mensagem espírita

Os palestrantes destacaram a facilidade com que dr. Bezerra de Menezes assimilou os princípios da Doutrina Espírita, apesar de sua formação católica inicial.

Segundo Godinho, em 1875, ao ler pela primeira vez o Livro dos Espíritos — oferecido pelo colega Joaquim Carlos Travassos, que traduziu a obra para o português — “Dr. Bezerra disse que leu, mas não encontrou nada de novo para seu espírito. A impressão era de que ele era espírita de nascença”, pontuou o presidente da FEB.

Mas apesar da participação ativa de Bezerra de Menezes na defesa e na divulgação da Doutrina Espírita, ele só se declarou publicamente espírita em 1886, “depois de longa dedicação aos estudos e à causa espírita”.

Devoção aos mais pobres

Dono de uma inteligência brilhante, Dr. Bezerra impunha respeito por sua autoridade moral. A generosidade e a devoção aos mais necessitados era uma marca de sua personalidade, a ponto de tirar dinheiro do próprio bolso para atender àqueles que lhe pediam auxílio.

 “O médico dos pobres era também um médico pobre, pois o que tinha distribuía com quem precisava”, disse Godinho, lembrando que Dr. Bezerra não cobrava as consultas de quem não podia pagar.

Caso emocionante

Godinho relatou um exemplo da natureza compassiva de Bezerra de Menezes. Ao receitar gratuitamente remédios para o filhinho de uma mulher e ouvi-la dizer que não podia comprá-los, ele revirou os próprios bolsos e, vendo que estavam vazios, não hesitou em tirar o anel de formatura do dedo e entregá-lo à mãe aflita.

A cena é uma das mais comoventes registradas no filme Bezerra de Menezes – O diário de um espírito. Mas esse caso não é o único. A biografia de Dr. Bezerra está cheia de histórias bonitas que demonstram a sua natureza verdadeiramente cristã.

Mistério

Godinho também mencionou um fato curioso que ronda a biografia de Bezerra de Menezes. A situação ocorreu quando ele ainda era estudante de Medicina, no Rio, e precisava de dinheiro para pagar o aluguel.

“De repente, alguém bateu à sua porta. Era um rapaz desconhecido pedindo que Bezerra de Menezes lhe desse aulas de Matemática. O visitante disse que voltaria no dia seguinte, para a primeira aula. E fez questão de pagar adiantado: entregou a Bezerra 50 mil reis. Mas o rapaz nunca apareceu”, resumiu Godinho.

 Acredita-se que o desconhecido fosse algum espírito que se “materializou” para ajudar Bezerra de Menezes.

Pai de família exemplar   

Bezerra de Menezes foi casado pela primeira vez com Maria Cândida de Lacerda, que desencarnou no início de 1863. Com ela, teve dois filhos. Dois anos depois, Bezerra casaria com sua cunhada, Cândida Augusta de Lacerda Machado (irmã de sua primeira esposa), com quem teve 7 filhos. Também foi esposo e pai de família exemplar.

Socorro aos aflitos

Durante todo o programa, os palestrantes destacaram a importância da mensagem consoladora de Jesus revisitada pelo espiritismo e tão bem representada por Bezerra de Menezes. Ele faleceu em 1931, aos 68 anos.

Na espiritualidade, sabe-se que dr. Bezerra optou por continuar socorrendo os brasileiros em aflição, apesar de já ter recebido autorização para alçar outros voos, em regiões mais elevadas, compatíveis com a sua superioridade moral.

Texto e fotos: Arlinda Carvalho

Leia mais notícias...

Você deve logar para postar um comentário.