Notícias em março, 2016

Médicos incluem espiritualidade em tratamentos

terça-feira, março 29th, 2016

Baixe este post em PDF

Por Jorge Luiz Amaral Teles
Fonte: Revista Isto É – www.ceak.com.br

 

 

 

Há uma revolução em curso na medicina que mudará para sempre a forma de tratar o paciente. Médicos e instituições hospitalares do mundo todo começam a incluir nas suas rotinas de maneira sistemática e definitiva a prática de estimular nos pacientes o fortalecimento da esperança, do otimismo, do bom humor e da espiritualidade.

 

O objetivo é simples: despertar ou fortificar nos indivíduos condições emocionais positivas, já abalizadas pela ciência como recursos eficazes no combate a doenças. Esses elementos funcionariam, na verdade, como remédios para a alma – mas com repercussões benéficas para o corpo. No Brasil, a nova postura faz parte do cotidiano de instituições do porte do Instituto do Coração (InCor), em São Paulo, da Rede Sarah Kubitschek e do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), no Rio de Janeiro, três referências nacionais na área de reabilitação física. Nos Estados Unidos, o conceito integra a filosofia de trabalho, entre outros centros, do Instituto Nacional do Câncer, um dos mais importantes pólos de pesquisa sobre a enfermidade do planeta, e da renomada Clínica Mayo, conhecida por estudos de grande repercussão e tratamentos de primeira linha.

 

A adoção desta postura teve origem primeiro na constatação empírica de que atitudes mais positivas traziam benefício aos pacientes. Isso começou a ser observado principalmente em centros de tratamento de doenças graves como câncer e males que exigem do indivíduo uma força monumental. No dia-a-dia, os médicos percebiam que os doentes apoiados em algum tipo de fé e que mantinham a esperança na recuperação de fato apresentavam melhores prognósticos. A partir daí, pesquisadores ligados principalmente a essas instituições iniciaram estudos sobre o tema.

 

Hoje há dezenas deles. Um exemplo é um trabalho publicado na edição da revista científica BMC Câncer sugerindo que o otimismo é um fator de proteção contra o câncer de mama. “Verificamos que mulheres expostas a eventos negativos têm mais risco de contrair a doença do que aquelas que apresentam maiores sentimentos de felicidade e positivismo”, explicou Ronit Peled, da Universidade de Neguev, de Israel, autor da pesquisa. Na última edição do Annals of Family Medicine – publicação de várias sociedades científicas voltadas ao estudo de medicina da família – há outra mostra do que vem sendo obtido. Uma pesquisa divulgada na revista revelou que homens otimistas em relação à própria saúde de alguma forma ficaram mais protegidos de doenças cardiovasculares. Os cientistas acompanharam 2,8 mil voluntários durante 15 anos. Eles constataram que a incidência de morte por infarto ou acidente vascular cerebral foi três vezes menor entre aqueles que no início estavam mais confiantes em manter uma boa condição física. Provas dos efeitos da adoção da espiritualidade na melhora da saúde também começaram a surgir. Nos estudos sobre o tema, a prática aparece associada à redução da ansiedade, da depressão e à diminuição da dor, entre outras repercussões.

 

A partir de informações como essas, os cientistas resolveram identificar o que levava a esse impacto. Chegaram basicamente a duas razões. Uma é de natureza comportamental. Em geral, quem é otimista, tem esperança e cultiva alguma fé costuma ter hábitos mais saudáveis. Além disso, essas pessoas seguem melhor o tratamento. “Uma postura positiva leva a gestos positivos. Os pacientes se cuidam mais, alimentam-se bem, fazem direito a fisioterapia, mesmo que ela seja dolorosa”, explica a clínica geral carioca Cláudia Coutinho.

 

A outra explicação tem fundamento biológico. Está provado que a manutenção de um estado de espírito mais seguro e esperançoso desencadeia no organismo uma cadeia de reações que só trazem o bem. “Se o paciente é otimista, encara um problema de saúde como um desafio a ser vencido. Nesse caso, as alterações ocorridas no corpo poderão ser usadas a seu favor”, explica o pesquisador Ricardo Monezi, do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo. O bom humor, por exemplo, é capaz de promover o aumento da produção de hormônios que fortalecem o sistema de defesa, fundamental quando o corpo precisa lutar contra inimigos. Além disso, o riso provoca relaxamento de vários grupos musculares, melhora as funções cardíacas e respiratórias e aumenta a oxigenação dos tecidos.

 

É esse arcabouço de informações que permite hoje o uso, na prática, da espiritualidade, do otimismo, da esperança e do bom humor como recursos terapêuticos dentro da medicina. Nos Estados Unidos, por exemplo, pesquisadores da Universidade do Alabama preparam-se para começar a aplicar um tratamento batizado de “terapia da esperança”. O sistema consiste em ajudar os pacientes a construir e a manter a esperança diante da doença. “O primeiro passo é auxiliá-los a encontrar um objetivo importante que dê sentido a suas vidas. Depois, aumentar a motivação para alcançá-lo e orientá-los sobre os caminhos a serem seguidos”, explicou à ISTOÉ Jennifer Cheavens, da Universidade de Ohio e participante do grupo que desenvolveu a novidade.

 

Desde que recebeu o diagnóstico de câncer no intestino, no ano passado, a consultora de marketing carioca decidiu que manter o bom humor seria sua grande arma. “Claro que em alguns momentos eu fiquei triste. Mas resolvi que não me deixaria abater e que continuaria a rir muito”, lembra ela, autora do livro Câncer: sentença ou renovação?

 

Essa construção é feita com base em técnicas usadas na terapia cognitivo-comportamental, cujo objetivo é treinar o indivíduo a pensar e a agir de forma diferente para conseguir lidar de modo mais eficiente diante de condições adversas. O treinamento é feito com duas sessões semanais realizadas durante dois meses. A terapia será usada em portadores de deficiências visuais e nas pessoas responsáveis por seus cuidados. “Acreditamos que ela ajudará muito na redução da depressão e de outros problemas associados à perda da visão. Os pacientes ficarão mais motivados a lutar contra as dificuldades e a participar dos trabalhos de reabilitação”, explicou à ISTOÉ Laura Dreer, professora do departamento de oftalmologia da Universidade do Alabama, nos EUA.

 

No Brasil, a inclusão da ferramenta na prática médica está mudando a rotina dos hospitais. No Instituto de Ortopedia, no Rio de Janeiro, por exemplo, o trabalho médico é acompanhado pelo suporte psicológico, dedicado especialmente a fortalecer uma atitude mais positiva. O trabalho, claro, não é simples. Os pacientes costumam ser vítimas de traumas medulares ocorridos em situações como acidentes ou quedas. De uma hora para outra, têm a vida totalmente limitada. “Por isso, precisamos ajudá-los a enfrentar a nova situação. Eles têm de passar por uma reabilitação física e emocional”, explica a psicóloga Fátima Alves, responsável pelo grupo. E quem faz isso usando o otimismo e a esperança como armas sai ganhando. “Mostramos principalmente aos mais descrentes que a postura positiva no enfrentamento da doença é um remédio”, afirma Tito Rocha, coordenador da unidade hospitalar do instituto. Em breve, eles abrirão um grupo para incentivar o cultivo da espiritualidade pelos doentes.

 

Talvez o símbolo mais emblemático do fim do preconceito da medicina ocidental contra questões relativas à emoções e espiritualidade seja o que está acontecendo na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), a mais tradicional do País. A instituição sediou um evento para mostrar aos profissionais de saúde a importância de recursos como a espiritualidade e o bom humor na recuperação de pacientes. O curso foi ministrado pelo geriatra Franklin dos Santos, professor de pós-graduação da disciplina de emergências médicas da universidade. No programa, houve um bom espaço para ensinar os médicos e enfermeiros a usarem essas ferramentas. “Discutimos como isso deve ser aplicado na prática”, diz o médico, que tem dado palestras pelas escolas de medicina do País inteiro.

 

Nos Estados Unidos, também há um esforço para treinar os profissionais de saúde. Só para se ter uma idéia, o Instituto Nacional de Câncer americano criou uma espécie de guia para orientar médicos, enfermeiros e psicólogos sobre como usar a espiritualidade do paciente a seu favor. Todo esse interesse é o sinal mais patente de que a revolução vai durar. Por isso, ninguém deve se surpreender se quando chegar ao consultório médico for indagado sobre suas condições de saúde, obviamente, mas também sobre sua relação com a espiritualidade ou disposição de esperança.

 

“Questões como essas devem começar a ser cada vez mais levantadas”, defende Brick Johnstone, professor de psicologia médica da Universidade Missouri-Columbia, nos EUA.



History Channel estreia especial sobre Chico Xavier

terça-feira, março 29th, 2016

Baixe este post em PDF

 

Fonte: Exorbeo – Notícias e novidades do mundo da TV

 

 

 

 

 

SF_HistoryChannelPromo_002_906

Divulgação

 

 

Histórias de famílias que receberam notícias de entes queridos já falecidos, através de cartas psicografadas por Chico Xavier, serão contadas no novo especial que o History Channel estreia em abril.

No documentário “As Cartas Psicografadas por Chico Xavier”, o telespectador vai conhecer pessoas que receberam cartas psicografadas pelo médium espírita Francisco Cândido Xavier, e que encontraram nessas cartas um grande alento para uma dor enorme.

A produção mostra como essas cartas manuscritas pelo famoso médium brasileiro, cujas mensagens trazem muitas lembranças e conforto, são grandes elos dos familiares com seus entes queridos que já se foram.

Repletas de significados para as famílias que as receberam, as cartas psicografadas por Chico Xavier também acabam sendo de grande importância para outras pessoas que nada têm a ver com aquelas histórias, como será mostrado no especial, que traz vários depoimentos.

A estreia do documentário “As Cartas Psicografadas por Chico Xavier” está programada para o dia 2 de abril, às 19h, na tela do History.



Maycom Leal se apresenta no Cantando a Doutrina em abril

terça-feira, março 29th, 2016

Baixe este post em PDF
No dia 02 de abril às 17 horas, Maycom Leal se apresentará novamente com sua banda e será no Cantando a Doutrina, no auditório Bezerra de Menezes da Comunhão.  Talentoso, competente, engajado e bem-humorado, o artista é um trabalhador incansável da Arte Espírita. Natural do estado do Rio de Janeiro, Maycom trabalha, de longa data, com músicas espíritas, tendo sido influenciado pelos artistas espíritas de seu estado natal.
Em 2004, lançou seu primeiro álbum, intitulado “Razão Pra Viver”, onde ele faz um apanhado de algumas de suas canções e também de outros artistas espíritas como Marielza Tiscate, Ariovaldo Filho e Armando Reis. Em 2014, Maycom Leal lançou o primeiro CD da trilogia “Momentos de Paz”, que consiste de músicas no estilo voz-e-violão voltadas para ambientação. Em setembro de 2015, Maycom lançou o CD “A Arte é Divina”, tendo feito uma aclamada apresentação de lançamento ao lado de sua banda formada por Aldo Trazzi Jr (baixo), André Moreira (bateria) e Silvio Sodré (guitarra).
  No dia 02 de abril às 17 horas, Maycom Leal se apresentará novamente com sua banda e será no Cantando a Doutrina, no auditório Bezerra de Menezes da Comunhão Espírita de Brasília. E se você for de outro estado,  assista ao vivo, pela Internet, através do site da TV Comunhão (www.tvcomunhao.com.br) ou do canal 11 do site da FebTV (www.febtv.com.br).


FEB promove palestra pública sobre Chico Xavier

terça-feira, março 29th, 2016

Baixe este post em PDF

Como parte das Efemérides Espíritas da FEB, a oradora Mayse Braga realizará, no dia 3 de abril, palestra pública sobre o tema “Caridade para com os criminosos – Deve-se expor a vida por um malfeitor?”, com homenagem ao médium Chico Xavier, que completaria 116 anos no dia 2 de abril.

A exposição ocorrerá no Cenáculo da FEB em Brasília, e terá início às 17h.



Haroldo Dutra fala sobre o significado da Páscoa

domingo, março 27th, 2016

Baixe este post em PDF



Filme “Nos passos do mestre” traz visão espírita sobre Jesus

sexta-feira, março 18th, 2016

Baixe este post em PDF

nospassosdomestre
Está previsto para o dia 24 de março a estreia do filme “Nos Passos do Mestre”, o primeiro longa que chega aos cinemas brasileiros contando a história de Jesus sob o ponto de vista do espiritismo.

A produção foi realizada pela Fundação Espírita André Luiz e Mundo Maior Filmes. A trama vai mostrar lugares significativos da história cristã para tentar esclarecer “mensagens contidas nos textos sagrados e que até hoje ainda são mal compreendidas”, como afirma a assessoria do filme.

“Aquela imagem de Jesus sofrendo na cruz, do Cristo dogmático, milagroso, vai abrir espaço para a imagem do Mestre Jesus e sua mensagem vai mudar a vida de muita gente”, afirma o diretor André Marouço.

Entre os pontos contestados racionalmente no filme estão crenças comum do cristianismo como o nascimento virginal de Jesus, seu batismo nas águas, as curas e milagres que realizou, a ressurreição de Lázaro e a ressurreição de Jesus.

“O filme deixa claro que Jesus em momento algum quis criar qualquer religião, mas sim disseminar o amor e a paz. A reencarnação e a mediunidade também são tratadas, mostrando que tanto o Velho Testamento quanto o Novo atestam as duas realidades”, diz a sinopse do filme.

A curadoria do projeto é assinada pelo Prof. Severino Celestino, pesquisador da Bíblia e professor de Ciências da Religião pela Universidade Federal da Paraíba. O filme conta ainda com a participação especial de Adão Nonato, psicólogo e estudioso do Velho e do Novo Testamento. O filme foi rodado no Egito, Jerusalém, Turquia e Itália.

O filme contou com apoio de internautas através da plataforma Catarse de financiamento colaborativo, mais de 900 pessoas conseguiram doar R$ 120 mil para o projeto que está em produção desde 2013.

Fonte: GospelPrime.com.br