Notícias sobre: ‘Eventos’

Divaldo Franco completa 92 anos

domingo, maio 5th, 2019 156 views

Baixe este post em PDF

Divaldo Pereira Franco é um dos maiores divulgadores da Doutrina Espírita pelo mundo. Como médium publicou mais de duzentos livros, traduzidos nas mais diversas línguas.

São cerca de 8 milhões de exemplares com a autoria de 211 Espíritos. Desempenhando o papel de orador Divaldo fez mais de 20 mil conferências, passou por milhares de cidades localizadas nos mais diversos países.

No âmbito social tem registrado cerca de 600 filhos adotivos e mais de 200 netos. Fundou a Mansão do Caminho que atende cerca de 3 mil crianças, adolescentes e jovens de famílias de baixa renda

Para saber mais acesse: www.mansaodocaminho.com.br



Cantando a Doutrina de sábado (4) traz Jean Charlles e Banda

sexta-feira, maio 3rd, 2019 84 views

Baixe este post em PDF

Talento, carisma e jovialidade são três palavras que bem definem o que se vai encontrar nas apresentações de Jean Charlles.

Em suas composições, elaboradas com sensibilidade e inteligência, Charlles fala de caridade, amizade, verdade, amor, coragem e fé. A propósito, “Coragem e Fé”, uma de suas músicas mais conhecidas, é muito executada por cantores espíritas de todo o Brasil.

De cada música dos três albuns que lançou (“Jean Charlles”, “Religare” e “Musiluz”), pode-se extrair grandes ensinamentos, isso na linguagem universal do bem sem-sectarismo religioso, o que tem grande apelo e aceitação pela juventude.

Acompanhe ao vivo, no salão Bezerra de Menezes da Comunhão Espírita, neste sábado, dia 4, às 17h, ou pela transmissão da Rádio e TV Comunhão, e no canal da Comunhão no YouTube.



Fim de semana com apresentações musicais e palestra de Mayse Braga

quarta-feira, maio 1st, 2019 439 views

Baixe este post em PDF

O fim de semana na Comunhão Espírita tem apresentações musicais e a tradicional palestra da médium e oradora espírita Mayse Braga, sempre nos primeiros sábados de cada mês. Confira:

4 de maio, sábado:

17h – Cantando a Doutrina com Jean Charlles e Banda.

Talento, carisma e jovialidade são três palavras que bem definem o que se vai encontrar nas apresentações de Jean Charlles. Em suas composições, elaboradas com sensibilidade e inteligência, Charlles fala de caridade, amizade, verdade, amor, coragem e fé. A propósito, “Coragem e Fé”, uma de suas músicas mais conhecidas, é muito executada por cantores espíritas de todo o Brasil. De cada música dos três albuns que lançou (“Jean Charlles”, “Religare” e “Musiluz”), pode-se extrair grandes ensinamentos, isso na linguagem universal do bem sem-sectarismo religioso, o que tem grande apelo e aceitação pela juventude.

19h – Palestra Mayse, como tema O Poder.

5 de maio, domingo:

17h –  Apresentação musical do Grupo Força Viva.

Todas os eventos serão transmitidos ao vivo pela Rádio e TV Comunhão, além do Canal da Comunhãono YouTube.



Presidente da Comunhão participa de sessão solene na Câmara em homenagem ao Dia do Espiritismo

quarta-feira, maio 1st, 2019 489 views

Baixe este post em PDF

Irmãos parlamentares de diferentes posições políticas se irmanam para homenagear o Espiritismo no dia 30 de abril, às 11h, em sessão solene na Câmara dos Deputados. O presidente da Comunhão Espírita, Adilson Mariz, discursou durante o evento.

Na foto, da esquerda para a direita: Adilson Mariz, presidente da Comunhão Espírita de Brasília, deputada Caroline De Toni (PSL/SC), deputado Rafael Mota (PSB/RN), senador Eduardo Girão (PODE/CE), Geraldo Campetti, vice-presidente da FEB, João Rabelo, diretor da FEB, e Tatto Savi, palestrante de SP.

Confira a reportagem da FEBTV:



Chico Xavier e Allan Kardec: histórias que encantam

quinta-feira, abril 25th, 2019 484 views

Baixe este post em PDF



 

Imagine, em pleno século XXI, um homem no alto de uma escada colhendo os frutos maduros de uma macieira e lançando-os romanticamente para a mulher amada, 13 anos mais velha que ele.

Essa foi uma das ilustrações feitas pela palestrante Mayse Braga no domingo (21), durante a palestra “As lições de Chico Xavier e Allan Kardec”, que teve início às 18h, na Comunhão Espírita de Brasília, seguida de uma sessão de perguntas e respostas.

Fazendo dobradinha com o jornalista e escritor Marcel Souto Maior, Mayse contou que a cena acima, protagonizada na vida real por Allan Kardec, foi presenciada por Léon Denis (1846-1927). “E era de uma beleza tão grande que ele, ao adentrar na casa de Kardec e de sua esposa Amélie e se deparar com esse cenário romântico e bucólico, deu um passo para trás e perdeu, definitivamente, a oportunidade de conhecer Kardec pessoalmente”, relata Mayse.

Com o exemplo, ela quis mostrar como Allan Kardec (1804-1869) foi um homem singular, à frente do seu tempo, que enfrentou todos os preconceitos e convenções em sua vida pessoal e na missão que abraçou como decodificador da Doutrina Espírita.

Na época, lembraram os palestrantes, não era muito comum os homens se casarem com mulheres mais velhas. Além disso, os fenômenos estudados por Kardec eram vistos com preconceito.

 

 

 

 

 

 

 

Chico e as duas mil rosas brancas

Agora, imagine a rara beleza de outra cena relatada por Mayse: duas mil rosas brancas sendo entregues a cada pessoa que o Chico Xavier abraçou, em um congresso realizado em Brasília, na década de 70.

À medida que Mayse reacendia as memórias do médium mineiro, muitos da plateia estariam pensando que só uma alma amorosa como a de Chico faria um pedido como aquele. É fato: Chico tocava os corações com o seu amor e a sua humildade.

Como a palestra coincidiu com o aniversário de Brasília (que acaba de completar 59 anos), Mayse relembrou os acontecimentos que antecederam a fundação da Comunhão Espírita de Brasília, associando essas memórias às lembranças afetivas deixadas por Chico Xavier.

Brasília: terra dos grandes encontros espirituais

“Em 1976, Chico afirmou que Brasília era a terra dos grandes encontros espirituais”, contou Mayse. E a Comunhão Espírita desempenharia um importante papel na divulgação do espiritismo no Brasil e no mundo, como já podemos comprovar nos dias atuais.

Jovens escoteiros homenageiam Chico

Outra cena comovente relatada por Mayse: jovens escoteiros nas estradas homenageando Chico por onde ele passava, em uma viagem de carro que fez para Brasília, na década de 70. “Chico parava em todos os locais para abraçar os escoteiros que sabiam que ele estava chegando na cidade”, contou.

Segundo ela, as lições deixadas por Chico e por Kardec são exemplos que devem ser seguidos. “Façamos o bem sem esperar nada em troca”, destacou, ao longo da palestra.

 

Acontecimentos inusitados nos sets de filmagem     

Em seguida, Mayse passou a palavra para Marcel Souto Maior, autor de livros sobre Chico Xavier e do livro “Kardec – A Biografia”, que deu origem ao filme “Kardec (que estreia dia 16 de maio nos cinemas).  Ele falou sobre seu convívio com Chico e respondeu a perguntas sobre Allan Kardec e os bastidores das gravações do longa-metragem que conta a vida do pedagogo francês.

Sobre situações inusitadas que marcaram a produção do filme, ele respondeu que o primeiro fato interessante ocorreu quando o ator Leonardo Medeiros foi escolhido para interpretar Kardec.

“Quando foi comunicado pela equipe de que faria o papel de Kardec, o ator contou que era sobrinho de   Eurípedes Barsanulfo [outro expoente do espiritismo no Brasil]. A informação deixou todos boquiabertos com a ‘coincidência’ aparente”, contou Marcel.

O mistério da carta-oração

Ele relatou outro fato curioso. Quando a equipe de filmagem chegou a casa-cenário escolhida para ser a Kardec, no filme, o eletricista abriu a caixa de luz e encontrou, em seu interior, uma carta escrita à mão.

“Na verdade, era uma oração desejando a todos muita harmonia e muita paz no dia a dia do trabalho que estava por começar. A carta parecia ser uma mensagem direta à equipe”, conta o jornalista.  “E passou a ser lida nos dias de filmagem, por alguém da equipe. Está tudo documentado”.

Livro resiste às chamas 

Outra história muito curiosa que ocorreu em um dos sets de  filmagem: uma réplica de O Livro dos Espíritos manteve-se intacta durante a reconstituição de “O Auto de Fé  de Barcelona” (expressão utilizada por Kardec para se referir à queima, em praça pública, de trezentos livros espíritas, realizada no dia 9 de outubro de 1861,  em Barcelona).

“Durante a reconstituição da cena, as chamas tomaram conta dos livros, mas esse exemplar manteve-se intacto durante muito tempo”, contou Marcel.

Perguntado sobre os ensinamentos de Kardec que mais lhe impressionaram, o escritor   respondeu que foi o artigo “O materialismo mata”, publicado em um dos volumes da Revista Espírita lançada por Kardec em 1858, em Paris.

Lições que marcam 

E sobre o que mais o tocou em sua convivência com Chico Xavier, ele resume: “A capacidade que ele tinha de olhar para o outro”.

No final da palestra, todos os presentes, encantados com as lições aprendidas naquela noite, lançavam no ambiente, mesmo sem saber, incontáveis buquês de rosas brancas para essas duas personalidades cujas vidas foram marcadas pela fé, pelo amor e pela caridade.

Texto: Arlinda Carvalho

Fotos:  Afonso Júnior



Sessão Solene em homenagem ao Dia do Espiritismo

quarta-feira, abril 24th, 2019 340 views

Baixe este post em PDF

No dia 30 de abril, às 11h, ocorrerá no Plenário Ulysses Guimarães na Câmara dos Deputados, em Brasília, a Sessão Solene em homenagem ao Dia do Espiritismo, requerida pelo deputado Rafael Motta do PSB/ RN.

A entrada será pela Chapelaria ou pelo Anexo II da Câmara dos Deputados.

Informações: (61) 3215-5626 ou pelo e-mail:  convites@camara.leg.br