Notícias sobre: ‘Psicografias’

Mensagens psicografadas na reunião mediúnica de 31 de dezembro

terça-feira, janeiro 22nd, 2019 768 views

Baixe este post em PDF

Em sua tradicional reunião mediúnica pública, os médiuns da Comunhão Espírita psicografaram mensagens dos amigos espirituais, as quais estão transcritas abaixo:

Reunião passagem do ano

Hoje ao percorrer este salão, me lembrou meus dias em que vos encontrava para vos abraçar.

Quero que saibam, sempre estarei presente neste ambiente, quando Jesus nos permitir, para vos abraçar mais uma vez.

Irene

Gratidão, gratidão é o louvor que trago em meu coração.

Nesta casa bendita aprendi a primeira lição, hoje sigo no aprendizado mas em outra dimensão.

Estou aprendendo a exercitar o trabalho do bem orientar, portanto neste tema, vos digo a orientação desta ora é, abrir os vossos corações ao sentimento que não se apaga, mas ilumina o doador em luz de benção e renovação.

Vamos doar o nosso coração para com Jesus mudar esta nossa nação.

Nação promissora, nação acolhimento, nação agregação, nação que jamais pode fechar as portas para receber os caídos de tempos idos.

Ontem aqui estavam os primeiros habitantes, nossos irmãos silvícolas que nos receberam de braços abertos, a eles violentamos os seus costumes, apregoando os nossos, para maior complicação escravizamos povos de outra nação, agora nesta ora devemos receber os que prejudicamos, acolhendo a todos sem discriminação, dando o acolhimento respeitoso aos que excluímos e reprochamos suas condutas.

Nesta nação de luz, a cruz de Jesus está a nos afirmar que de braços abertos Ele em seu magnânimo amor recebe a todos nesta rica nação.

Deus seja louvado.

Luz, paz com Jesus

Um irmão de caminho.

Caravaneiros de Jesus, nos despedimos em plena luz

Ao final de mais um ano na terra, diferente do tempo no plano espiritual, a humanidade chega ao seu limiar de conhecimento e evolução material; ao final de mais um ano, de mais uma existência, de mais um caminho trilhado pelas nossas próprias escolhas, a criatura humana chega a uma encruzilhada. Para aonde andar? Para frente, para a direita ou para a esquerda, repetindo antigos hábitos, ou transformando a alma?Reforçando vícios com explicações vazias, ou assumindo posição de responsabilidade, mudando realmente o rumo da caminhada?

Os anos vindouros não mais aceitarão nossas esfarrapadas desculpas, não mais suportarão a mesma conduta de séculos de atraso moral. Os anos que virão, que começam em nosso agora, acreditam e aguardam alguém responsável pelos próprios atos, alguém interessado na própria renovação interior, maravilhosamente transformado, pois essa é a proposta da Doutrina Espírita. Esta doutrina que nos abre as portas para a melhoria íntima, ao nos mostrar que somente assim será possível a conquista da tão sonhada felicidade, que, afinal, somente será alcançada quando aquilo que guardamos nas profundezas de nossa alma for retirado, iluminado e perdoado, deixando-nos livres para seguir adiante, e uma criatura efetivamente feliz, plena, grata e preenchida pela energia crística, apesar de qualquer circunstância que tente abalar esse equilíbrio conquistado. E uma alegria perene invadirá todo o ser, que durante várias existências esteve perdido nas amarras escuras da vaidade, do ego, dos prazeres mundanos e da falta de caridade. Assim surgirá aquele que compreende e aplica a grande máxima de Jesus, o único caminho a ser seguido, o único caminho que nos tornará um com Deus.

Ama, portanto, ao teu próximo como a ti mesmo, a Deus sobre todas as coisas, mas ama-te primeiro, para que consigas amar ao teu próximo e, finalmente, com todo o teu ser, amar a Deus.

Irmã Rosaria!                                                                                                                                           31/12/2018

A raiz é santa, o ramo é santo

“Se é santa a parte da massa que é oferecida como primeiros frutos, toda a massa também o é; se a raiz é santa, os ramos também o serão” – Paulo (Rm 11:16)

A vida é singela como a rosa que brota no jardim e oferece sua beleza de pétalas e espinhos. No jardim da vida, cada um é planta que nasce. O orvalho da manhã oferece a gota do consolo diante da dor, assim como a sombra da árvore oferece proteção. Na conquista do belo, cada planta terá o solo fértil do Pai.

No caminho da vida, as tempestades surgirão, retirando todas as folhas das plantas e até derrubando os galhos das árvores, entretanto o Pai sabe o necessário em cada estação. Se no verão ocorrem chuvas e ventos em meio ao calor, é porque o jardim necessita dessa etapa de provas e expiações. Em seguida, virão outras estações, com suas características específicas e suas respectivas provas e expiações. E o amparo do Pai é presente como o sol que brilha no Alto.

Durante cada etapa da vida, as estações surgirão com amargura e doçura, saúde e doença, convivência e distanciamento, paz e guerra, velho e novo, conflito e consolo. Assim é a vida e, acima de tudo, está o Pai no trabalho diário de proteção desse belo jardim.

Cada planta que brota tem o seu papel. Umas se parecem com os cáctus, cheios de espinhos, mas com bastante água no interior; outras surgem como árvores sem folhas, porém o interior do tronco é formado por grande alimento; outrasse desenvolvem como uma pequena planta por fora e uma grande raiz abaixo da terra.

Nota-se que cada espírito, em sua jornada reencarnatória, tem suas características específicas para aproveitar a oportunidade atual como instrumento do Pai. Não se iluda com o tamanho do tronco e da sombra que a árvore forma, nem julgue o cáctus pelos seus espinhos. Todos têm suas mazelas e sentimentos doentes porque ainda são espíritos em crescimento, mas todos também têm seu potencial de luz.

Cada um perceberá como a convivência no jardim transforma a natureza de forma esplêndida na sua diversidade.

A próxima estação que está por vir será nova oportunidade para cada planta que brota com suas flores, espinhos ou raízes.

Cada espírito compreenderá seu papel e não deve julgar as diferenças. Elas são fundamentais e estão totalmente amparadas pela seiva do amor do Pai.

Como disse Paulo aos Romanos: “se a raiz é santa, os ramos também o serão”.

Jardineiro Fiel

(Mensagem dia 31/12/18)

A dor e o consolo

“Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” – Paulo. (1 Ts 5:18)

Vários conflitos existenciais acontecem durante os diferentes ciclos da vida. Na parte mais sombria das dores, os conflitos emergem, mas ao lado sempre há luz. Os ciclos da vida podem ser definidos em diferentes momentos, dentre eles, os anos.

Os anos, assim como outros marcos temporais, servem didaticamente para o espírito estruturar-se diante de seus conflitos. Para lidar com a eternidade, o espírito imperfeito necessita desses recursos, evitando perder-se na angústia do tempo escasso ou acomodar-se com o tempo dilatado.

No momento em que se encerra um ciclo, é fundamental lidar com os conflitos íntimos, olhar para dentro e perceber o amor. É necessário reconhecer as sombras e deixar brotar a paz, uma vez que um novo ciclo se inicia. Se a dor rasga o coração, hoje é o dia de consolar a alma na busca de um novo porvir.

Não adianta apegar-se à queda de ontem, do mês passado ou do início do ano. Ao se vincular à sombra de forma queixosa, dificulta-se o progresso moral e o contato com o Alto. Se cada um ficar na lamúria dos erros que cometeu no ano, como será ao pensar na eternidade? Imaginem pensar em todas as quedas do século passado ou em tantas experiências prévias das quais ainda não se tem consciência?

A lamúria pela queda passada é azedume nos doces passos do agora.

É necessário olhar para dentro, reconhecendo a dor e o conflito, mas, em seguida, deve-se olhar para o Alto e perceber o tamanho da misericórdia do Pai.

Onde cada um encontrar a mágoa, encontrará o convite ao perdão; onde encontrar o ódio, perceberá que o amor é maior que a sombra; onde encontrar a raiva, perceberá a humildade que dilui o orgulho; onde encontrar a dúvida, reconhecerá a fé vacilante, que pode ser fortalecida com prece e trabalho no bem.

O ciclo do ano se fecha e o conflito deve ser lembrado, porém, não valorizando a sombra, mas percebendo a luz que brota ao lado.

O Pai é misericordioso. Se a dor está perto, é porque o consolo está mais perto ainda.

Assim, mesmo sentindo a dor da sombra, lembre-se sempre de Paulo quando disse: “em tudo dai graça”.

João

(Mensagem dia 31/12/18)



Aborto: a opinião de Emmanuel, na psicografia de Chico Xavier

quinta-feira, setembro 6th, 2018 1.209 views

Baixe este post em PDF

A Comunhão Espírita de Brasília, com base nos ensinamentos da Doutrina Espírita codificada por Allan Kardec, posiciona-se contrária às propostas descriminalização ou de legalização do aborto, como é o caso da ação de Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF 442), impetrada no Supremo Tribunal Federal.  O documento pede à Suprema Corte que declare a não recepção parcial, pela Constituição da República, dos artigos 124 e 126 do Código Penal, que tratam do crime de aborto até a 12ª semana de gestação. A respeito do tema, pronunciou-se o Espírito Emmanuel, pela psicografia de Francisco Cândido Xavier:

Estuda-se no Brasil uma forma de lealização do aborto. Qual a sua opinião?

O aborto é sempre lamentável porque, se já estamos na Terra com elementos anticoncepcionais de aplicação suave, compreensíveis e humanitários, por que é que havemos de criar a matança de crianças idenfesas, com absoluta impunidade, entre as paredes de nossas casas?

Isto é um delito muito grave perante a Providência Divina, porque a vida não nos pertence, e sim ao Poder Divino.

Se as criaturas têm necessidade do relacionamento sexual para revitalização de suas próprias forças, o que achamos muito justo, seria melhor se fizessem sem alarme ou sem lesão espiritual ou psicológica para ninguém.

Se o anticoncepcional veio favorecer esta movimentação das criaturas, por que vamos legalizar ou estimular o aborto?

Por outro lado, podemos analisar que se nossas mães tivessem esse propósito de criar uma lei de aborto no século passado, ou no princípio e meados deste século, nós não estaríamos vivos.”

Emmanuel. Psicografia de Chico Xavier. Livro: Entender Conversando – Entrevistas. Editora IDE

 



Guilherme Velho conta a história do museu secreto das almas do purgatório

domingo, agosto 26th, 2018 612 views

Baixe este post em PDF

O escritor Guilherme Velho, autor do livro Psicografia: Casos Investigados, fez palestra neste sábado, dia 25 de agosto, durante a MACES 2018, a Mostra de Arte e Cultura Espírita da Comunhão.

Estudioso da psicografia e da comunicação entre vivos e mortes, Guilherme relatou como iniciou suas pesquisas para a produção do livro, que conta em detalhes cinco casos comprovados de comunicação mediúnica.

Anos atrás, Guilherme esteve em Roma e teve a oportunidade de vixitar o Museu das Almas do Purgatório, um museu secreto ao lado do Vaticano onde existem catalogadas 270 peças que comprovam a comunicação entre padres e freiras desencarnados com seus confrades encarnados. Eram almas aflitas ao se verem no mundo espiritual, do qual não acreditavam, e pediam orações. Para comprovar suas existências imateriais, produziram fenômenos físicos em objetos pertencentes aos padres e freiras com os quais se comunicaram. Essas peças se encontram no museu.

Segundo Guilherme, a Igreja Católica decidiu criar o museu, que permanece desconhecido da maioria dos católicos, não apenas para registrar a vida após a morte e a comunicação dos espíritos, mas para comprovar a existência do purgatório, onde as almas dos representantes da Igreja estariam até ingressarem no Paraíso.

Para escrever o livro, que foi autografado na Comunhão, Guilherme Velho entrevistou 24 médiuns e analisou 40 casos de psicografia. Cinco deles foram selecionados para o livro. Todos de médiuns que produziam trabalho semelhante ao de Chico Xavier. Na palestra, o autor mostra vídeos sobre os casos narrados.

Assista à íntegra da palestra:

Por Ana Cristina Sampaio Alves



Mensagem: Anotações Preventivas

terça-feira, novembro 28th, 2017 468 views

Baixe este post em PDF

Pelo Espírito André Luiz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Busca e Acharás. Lição nº 05. Página 31.

Retome o seu dia buscando olvidar as ocorrências infelizes da véspera. A casa protegida, habitualmente, promove faxinas pela manhã.

Se alguém se lhe fixou na mente como sendo um ponto enfermiço, envolva a imagem desse alguém no bálsamo da prece. Uma chaga no corpo exige recurso cicatrizante.

Lance boatos e injúrias ao cesto do esquecimento. A moradia claramente limpa reclama a presença do esgoto.

Abstenha-se de entreter assuntos alusivos à delinquência. Ninguém lava as mãos num vaso de lama.

Dissipe tentações no calor do trabalho. As aranhas não resistem ao espanador em movimento.

Ganhe distância dos ambientes que lhe incitem a alma à distorção e ao desequilíbrio. Não se lembraria você de banhar-se num pântano.

Evite comentários deprimentes. Você não serviria um bolo envenenado aos amigos.

Resguardemos o coração nas fontes do bem, pensemos no bem, e procuremos falar e agir para o bem, porque servir ao bem dos outros é a melhor forma de atividade preventiva contra enfermidade e perturbação nos domínios da nossa vida mental.

 



Pátria Brasileira! (Mensagem do espírito de Deodoro da Fonseca)

quinta-feira, junho 1st, 2017 817 views

Baixe este post em PDF

Abençoada pela fulgurante luz das estrelas do Cruzeiro do Sul, estás programada pelo Senhor da Vida para que sejas, em futuro não distante, o centro de irradiação do Evangelho restaurado.

Enquanto a humanidade sofre a noite terrível que se abate sobre a Terra, e tu experimentas, solo verdejante, a sombra dominadora do descalabro moral dos homens, na Consciência Cósmica que te gerou, estão definidos os desafios e rumos para que logres as tuas conquistas em futuro próximo.

Dormem, nas montanhas em que te apóias e na intimidade das águas oceânicas do Atlântico, que te banha de norte a sul, tesouros inimagináveis que te destacarão mais tarde do concerto econômico das grandes nações.

Embora a conspiração deste momento contra as tuas matas grandiosas, sobreviverás às ambições desconcertantes de madeireiros, pecuaristas e agricultores desalmados, e dos conciliábulos nefandos que lutam pela destruição da tua Amazônia, que permanecerá como último pulmão da Terra, sustentando a sociedade que hoje se encontra sem rumo.

Padeces, na conjuntura atual, a sistemática desagregação dos valores ético-morais, políticos e emocionais, os mesmos que abalam o mundo, mas esses transitórios violadores do dever passarão, enquanto persistirá a tua destinação histórica.Pátria do porvir!

Conseguiste libertar-se da mancha cruel da escravidão em etapas contínuas, que culminaram no gesto audaz da tua filha, que não teve pejo de, na ausência do pai, pôr fim ao abuso da exploração impiedosa do negro, também teu filho, no eito terrível e hediondo da perversidade.

Logo depois, já livre do jugo da pátria-mãe que te humilhava, pondo-te em subalterna situação, aspiraste por vôos mais altos, que um dia se transformaram em liberdades democráticas que sorriam para ti, e o teu pavilhão verde, azul e amarelo tremulou, numa república, que a partir de então podia compartilhar do banquete internacional realizado pelos povos livres da Terra.

É certo que ainda estertoras, neste momento de desafios, quando a cultura cambaleia, a ética desfalece, a moral se perverte e os direitos humanos esquecidos são postos à margem pelos dominadores ignorantes de um dia.

Tu, porém, sobreviverás a toda essa desdita, Brasil!

Compreende, neste momento, a desenfreada manobra dos manipuladores da opinião pública e a daqueles que te dilapidam os valores, transferindo-os para os paraísos fiscais da ignomínia e da insensatez, porque esse hediondo crime contra tua economia e os milhões de vidas, será de duração efêmera. Eles morrerão deixando tudo em contas secretas, em aplicações de que jamais se utilizarão….

Enquanto isso ocorre, gemem no teu solo os filhos da miséria, ocultos nos escombros do abandono.

As tuas vielas, ruas e avenidas nos pequenos burgos do interior, nas metrópoles, vêem e sofrem inermes, a desenfreada correria da violência que se atrela ao selvagem potro da morte, dizimando vidas, taladas em pleno alvorecer.

Paga, porém, em paciência e compaixão o preço da tua destinação histórica, na tua condição de futura pátria da paz e do Evangelho de Jesus.

Isto passará, e logo depois da noite sombria, uma aurora de esperanças irá colocar-te no lugar que está reservado, quando poderás oferecer lições de misericórdia e de solidariedade ao mundo que não perdoa, tu que apresentas em forma de um grande coração simbolizando a afabilidade e a doçura.

Oro por ti, Brasil, e por vós, brasileiras e brasileiros, na condição de filho que também sou da terra iluminada pela constelação do Cruzeiro do Sul.

Deodoro (*)

 

(Mensagem psicofônica recebida pelo médium Dilvado Pereira Franco, na sessão da noite de 16 de novembro de 2005, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia)

(*) Marechal Deodoro da Fonseca.

Fonte: FEB



Mensagem de Dr. Bezerra no Congresso Mundial, através de Divaldo Franco

segunda-feira, outubro 10th, 2016 916 views

Baixe este post em PDF

“Deveremos convertermo-nos em chamas vivas para que nunca mais haja escuridão na Terra. É necessário que o nosso amor se transforme em esperança e alegria.

Há tanta dor esperando por nós, tantas lágrimas a enxugar, tanto sofrimento, que temos vergonha de ser felizes.  Espíritas, meus filhos, transformai as lições profundas da Codificação espírita numa diretriz de segurança, para encontrar lhes a plenitude.

Nós, aqueles que atravessamos o portal de cinza e de lama, de que se lhe constituiu o corpo, voltamos para dizer-vos: amai a vida, em todas as suas expressões, porfiai no Bem e crede, Cristo Vive, a morte é nada mais do que a transformação de moléculas que voltam à química original do subsolo para novas conjugações atômicas. O Amor, a Luz na caridade, é o maior tesouro que podemos carregar.

Onde estejais, crede na Luz do Senhor, e que todos saibam que sois irmãos uns dos outros, diferindo a verbalização idiomática, o nascimento no solo, o endereço, mas uma só Pátria, a Pátria da Fraternidade.

Uni-vos, porque unidos no Amor sois uma força indestrutível, mas, separados, sereis vencidos pelas próprias paixões, e procurai levar sem temor a mensagem de Vida Eterna. Não tendes mais as arenas nem as cruzes, nem os empalamentos nem as fogueiras, mas tendes as paixões internas a vencer.

Os espíritos espíritas neste Congresso, em nome de Leon Denis que patrocinia o Evento Mundial, por intermédio deste servidor, suplica a Deus que a todos nós abençoe e nos guarde e muita paz.
O servidor humílimo e paternal de sempre. Bezerra.

 

Foto: Sayonara Lorenz