Notícias sobre: ‘Obituário’

Morre o ator Nelson Xavier, que interpretou Chico no cinema

quarta-feira, maio 10th, 2017 52 views

Baixe este post em PDF

O ator Nelson Xavier morreu, aos 75 anos, na madrugada desta quarta-feira, 10, em Uberlândia, Minas Gerais. Tereza Villela Xavier, filha do ator, usou sua página no Facebook para falar da perda do pai.

“Lamento informar a quem possa interessar que meu pai, Nelson Xavier, faleceu esta noite em Uberlândia. Seu corpo será transferido, celebrado e cremado no Rio de Janeiro em cemitério ainda não determinado. Agradeço desde já as mensagens de apoio. Ele virou um planeta! Estrela ele já era. Fez tudo que quis, do jeito que quis e da sua melhor maneira possível, sempre”, escreveu ela.

Em 2014, durante o Festival de Gramado, Nelson Xavier contou que fez tratamento contra o câncer de próstata em 2004 e que estava livre da doença. Foi lá também que recebeu o prêmio de melhor ator com “A despedida”, um de seus últimos trabalhos.

Nelson Xavier já vinha sendo tratado em uma clínica de geriatria na cidade, prestadora de serviço do Hospital Santa Genoveva. Segundo informações do hospital ao G1, ele deu entrada nesta terça-feira, 9, às 10h57 e, em seguida, transferido para um quarto particular. A morte, por volta das 0h45, ocorreu após o agravamento de uma doença pulmonar.

Em 2010, Nelson interpretou Chico Xavier nos cinemas. Na época, o ator afirmou que havia vivido ali seu melhor papel. “Finalmente fiz o meu maior papel. Fui invadido por uma onda de amor tão forte, tão intensa, que levava às lágrimas”, contou Nelson Xavier, que no longa viveu o líder espírita dos 59 aos 65 anos. “Nenhum dos personagens que fiz mudou minha vida. O Chico fez uma revolução”.

Com informações do G1.

 

 



Desencarna aos 100 anos Jorge Andréa dos Santos

quinta-feira, fevereiro 2nd, 2017 226 views

Baixe este post em PDF

Desencarnou hoje, no Rio de Janeiro, aos 100 anos de idade, o psiquiatra, pesquisador e conferencista espírita Jorge Andréa dos Santos. Nascido em Salvador, a 10 de agosto de 1916, era oficial aposentado da Força Aérea Brasileira e morava no Rio havia muitos anos. Viajou por todo o país divulgando a Doutrina por meio de palestras de cunho científico e publicou dezenas de livros, sendo considerado por muitos como uma das figuras mais importantes do movimento espírita.

Alguns dos seus livros mais conhecidos são: “Com quem tu andas?”, elaborado com Hermínio C. Miranda; “Forças sexuais da alma”, “Energias espirituais nos campos da biologia”, “Psicologia espírita” e “Ciência, espiritismo e reencarnação”.

Por ocasião das celebrações dos seus 100 anos de vida, o Instituto de Cultura Espírita do Brasil (Iceb), do qual era presidente de honra, lançou outra obra, intitulada “Do outro lado da matéria – Enigma da vida”, uma substanciosa coletânea dos seus trabalhos.

Era viúvo da assistente social Gilda Andréa, com quem teve oito filhos. Jorge Andréa dos Santos cumpriu sua jornada, mas deixa uma imensa lacuna no movimento espírita.

Assista a uma entrevista feita com Jorge Andréa dos Santos:

 



Dona Irene: uma lição de amor

quarta-feira, janeiro 11th, 2017 467 views

Baixe este post em PDF

Dona Irene. A força no corpo delicado.  A paz no olhar. A mão sempre estendida. A voz que consolava. O abraço, a acalmar. Irene Martins de Souza Carvalho, que desencarnou no dia 1º de janeiro deste ano, foi uma das fundadoras da Comunhão Espírita de Brasília, juntamente com o marido, Mário Carvalho, mais conhecido como Mário Barata, construtor e ex-presidente da Casa.

Nascida em uma família numerosa e evangélica, desde criança ela via e ouvia barulhos que chegavam de todas as direções. Nessa época, descobriu que conseguia diagnosticar doenças nas pessoas. Há 50 anos, Dona Irene teve uma visão e se viu dando passe em pessoas desesperadas. Neste momento percebeu que era espírita e começou sua caminhada pelo bem.

Como fundadora da Comunhão Espírita, Dona Irene sempre afirmou que se sentia realizada e muito feliz. Além da Comunhão, fundou o Nosso Lar, instituição que abriga crianças carentes em situação de risco no Núcleo Bandeirante.

Dona Irene é certamente uma das pessoas mais especiais para a Comunhão. Incansável, amorosa, presente, batalhadora, guerreira, fez desta Casa, a sua casa. Desta família, a sua família. O presidente da Comunhão, Adilson Mariz, ressaltou que o sentimento é de gratidão pelos anos dedicados com amor à divulgação da doutrina e edificação da Casa. “Estamos certos de que ela será merecedora de uma acolhida amorosa pela espiritualidade amiga”, afirmou.

Para Maria Luiza Bezerra, vice-presidente da Comunhão Espírita, ela é a “mãe” de todos que por aqui passaram e passam para trabalhar e, principalmente, serem acolhidos em suas dores.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, em nota de pesar divulgado por sua assessoria de imprensa, disse que “a perda de Dona Irene deixa a cidade mais triste e vazia de lideranças voltada para o bem-estar dos mais necessitados, seja do ponto de vista espiritual e material. Ela e seu marido foram pioneiros de Brasília e sempre se dedicaram a ajudar o próximo”.

 Para Paulo Maia, presidente da Federação Espírita do Distrito Federal (FEDF), Dona Irene foi uma trabalhadora incansável da causa espirita. “Como grande protagonista na construção e manutenção da Comunhão, do abrigo Nosso Lar e das atividades de acolhimento e esclarecimento das pessoas que buscavam a Casa. Sempre de bom ânimo e uma disposição para o trabalho que serve de exemplo para todos nós, pois trabalhou no limite das forças. Não havia dificuldades ou tempo ruim para ela”, afirmou.

O diretor de Comunicação da Federação Espírita Brasileira (FEB), João Rabelo, lembrou que Dona Irene foi uma trabalhadora valorosa do bem. “Uma das pioneiras no trabalho de divulgação da Doutrina Espírita em Brasília. Ela deixa uma contribuição muito importante para os trabalhos das gerações futuras como exemplo de caridade e dedicação”, disse.

Dona Irene foi um exemplo de solidariedade, de caridade, sempre atendendo aos que estavam sofrendo. Em entrevista ao Jornal Mural, pela ocasião de seu aniversário, ela destacou a vasta literatura que a Doutrina Espírita possui para trabalharmos, com amor, pelos que necessitam. “É como está na Bíblia: Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo. Temos que bater à porta do coração e ajudar os outros”, afirmou. Fica a lição de quem sempre esteve com a porta do coração aberta e só ensinou o amor.

 



Desencarna Irene Carvalho, fundadora da Comunhão

segunda-feira, janeiro 2nd, 2017 580 views

Baixe este post em PDF

A Comunhão Espírita comunica o desencarne de Irene Martins de Souza Carvalho, ocorrido ontem (1º), por volta das 23h, aos 94 anos. Ela tratava de uma pneumonia há alguns dias.

O velório acontece hoje (2), no Salão Bezerra de Menezes da Comunhão, na 604 Sul, das 11h às 15h. O sepultamento será no Cemitério Campo da Esperança, às 16h.

A oradora espírita Mayse Braga fará uma explanação de despedida, às 14h, em nome de todos que conviveram com “Dona Irene”, como era carinhosamente conhecida no meio espírita, durante vários anos de trabalho.

Dona Irene era viúva de Mário Carvalho. Ambos foram fundadores da Casa. Eles também fundaram a instituição Nosso Lar, local que abriga crianças em situação de risco no Núcleo Bandeirante. Ela também escreveu novelas, peças de teatro e livros espíritas.

 



Desencarne de Chico Xavier completa 14 anos

quinta-feira, junho 30th, 2016 183 views

Baixe este post em PDF

Chico Xavier nasceu em 1910. Aos 5 anos de idade começou a ver e ouvir os espíritos, assim estabeleceu um relacionamento que deu resultado à publicação de mais de 412 obras psicografadas por ele. Com uma qualidade literária extraordinária, as obras de Chico Xavier são um autêntico sucesso editorial e já alcançaram mais de 25 milhões de exemplares, somente em língua portuguesa.

De personalidade bondosa, dedicou-se sempre ao auxílio dos mais necessitados. O trabalho em benefício do próximo possibilitou ao médium a indicação, por mais de 10 milhões de pessoas, ao Prêmio Nobel da Paz de 1981. No ano de 2012, Francisco Cândido Xavier foi eleito “O maior brasileiro de todos os tempos”, em evento promovido e realizado pelo Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

Fonte: FEB